Segunda via de Boletos

Pinscher - como resistir a tanta energia e felicidade?

Muita gente pensa que o Pinscher é uma versão miniatura do Doberman Pinscher, mas, na verdade, ele pertence a uma raça mais antiga que o Doberman. Os estudiosos não têm ideia de quando surgiu a raça. Sua primeira referência na história é uma pintura do século 17, onde aparece um cãozinho parecido com o Mini Pinscher.

Pincher_capa

O Pinscher, provavelmente, nasceu do cruzamento entre o Pinscher alemão, um pequeno terrier de pelo curto, com Dachsund e Greyhound italiano. Pelo menos esta é a versão do escritor H.G. Reinchenbach, um médico alemão apaixonado pela raça. Os traços dessas raças estão presentes no pequeno Pinscher, o menor cão de guarda existente no mundo, segundo a Federação Cinológica Internacional.

Outra história contada é que o Pinscher originou-se de cruzamentos selecionados do Pinscher Standard, uma raça já extinta e que também deu origem aos Doberman. As características dos dois são semelhantes, dando a impressão que o Pinscher é uma miniatura do Doberman. De qualquer maneira, o que não pode ser ignorado é que se trata de uma raça alemã.

O Pinscher é, sem dúvida, a raça mais cheia de energia do mundo, sempre com movimentos ágeis, pulando e vigiando por todos os cantos, com uma elegância digna de um nobre. Tanto assim, que a sua postura o tornou um dos cachorros de raça mais populares dos Estados Unidos e, aqui no Brasil, apreciado por jovens, velhos e crianças.

Entre nós, brasileiros, o Pinscher ainda é uma raça bastante popular, embora não tenha registros oficiais, com pedigree. Mesmo porque muitos foram cruzados com o outro anão entre os cãezinhos, o Chihuahua, gerando praticamente uma nova raça, ainda indefinida.

De qualquer maneira, o Pinscher é um cachorro que agrada a qualquer um que goste de cães espertos, vivos, ágeis e dóceis. E, pelo seu tamanho, pode ser um cãozinho de estimação em qualquer ambiente, desde um pequeno apartamento até mesmo uma fazenda, já que é muito apegado aos donos e às famílias que os adotam.

A vivacidade do Pinscher, sua principal característica

A valentia e a personalidade marcante do Pinscher são as principais características que encontramos nessa raça valente e guardiã. Embora seja frágil na aparência, nunca deixa de pular e saltar, tentar agradar seus donos e fazer companhia a eles.

Tem também muita inteligência, estando classificado entre os mais obedientes quando se trata de trabalho e aprendizado. É ainda muito curioso e brincalhão, podendo se dar bem com crianças, se for criado junto a elas. O único cuidado necessário é que a criança não o machuque, por ser tão pequeno, já que ele, como cão de guarda, vai se defender e revidar.

O Pinscher, sendo um cão de guarda, tem o instinto territorial muito aguçado, defendendo seu local e defendendo seus donos, não se importando com o próprio tamanho. Atento a tudo, torna-se, além de amigo, um excelente vigia, latindo ao menor sinal de movimento ou ruído, antecipando-se ao que pode acontecer.

Sua educação, porém, deve ser bem cuidada, já que pode se tornar um cãozinho neurótico, ou histérico, agitando-se por qualquer coisa. Um cão Pinscher puro, no entanto, pode ser muito melhor educado, pois a obediência aos donos é uma característica da raça.

Ainda em se tratando da educação de um Pinscher, se você adotar um para ser seu companheiro, precisa saber que ele é um cão de guarda, e não um cachorrinho de luxo. Assim, sua agressividade deve ser respeitada. Quando for educar um Pinscher, faça isso com muito carinho, não o atice para ser agressivo. Se ele é engraçado quando pequeno, rosnando e latindo, isso é uma demonstração de sua personalidade, e não apenas uma brincadeira. Pense sempre que ele vai crescer – não muito, é claro – mas será adulto e poderá criar problemas de relacionamento.

A vivacidade e esperteza do Pinscher são próprias do seu tamanho. Nós todos podemos perceber que, quanto menor o cão, mais rápido é seu metabolismo e mais agitado ele é. Assim, é bom cuidar para que gaste bastante energia e não se torne agressivo.

Os cuidados com seu Pinscher

Caso você escolha um Pinscher como seu companheiro, pense em encontrar um puro, que não tenha misturas com o Chihuahua ou com o Fox Paulistinha, assim será mais fácil educá-lo.

Procure escolher um filhote de tamanho médio: os menores sempre são muito mais agitados e podem ter complicações nas proporções físicas. Fêmeas menores poderão ter problemas no parto. Assim, procure conhecer também os pais, para saber como o filhote será na vida adulta.

Os cuidados com um Pinscher filhote devem ser redobrados, pois sua compleição física pode causar distensões e fraturas. Então, nunca os deixe em locais de onde possa cair, nunca deixe objetos pequenos por perto e trate-o sempre com muito carinho e cuidado. Os espaços onde pode deixá-lo também devem ser verificados, pois são pequenos demais e podem fugir, procurando conhecer novos lugares, e isso é próprio da raça: a curiosidade.

O Pinscher precisa ser sempre cuidado também na saúde, pois pode ter dentição dupla, quando não caem direito os dentes de leite, e necrose na cabeça do fêmur, um problema hereditário. A luxação da patela, com o deslocamento do joelho, também é hereditária.

Isso não diminui sua alegria, que é contagiante e sua presença sempre fará o dono feliz.


Outras Notícias sobre Raças