Segunda via de Boletos

Komondor: O cãozinho com dreadlocks

Inevitavelmente, a reação de quem olha pela primeira vez para um Komondor é de muita surpresa. A aparência exótica e um tanto cômica do cão esconde um animal com temperamento calmo, muito fiel e dócil com seus familiares.

É uma raça muito procurada por sua beleza e por pessoas que querem um bom companheiro de guarda.


Komodor_capa

História e origem da raça

Há pelo menos, duas teorias consistentes sobre a origem da raça Komondor na Hungria. A primeira indica que seus antepassados eram descendentes de cães tibetanos e foram levados para o país com os nômades magiares. A outra possibilidade é que eles tenham migrado junto com os povos nômades turcos.

E ainda, para alguns estudiosos dessa raça, o Komondor possui parentesco direto com o Pastor de Bergamasco e o Old English Sheepdog.

De qualquer forma, independente de sua real origem, o cachorro era usado como protetor muito eficiente dos rebanhos. Chamado de cão rastafári, as ‘cordas’ brancas (de até 27 centímetros) que cobrem todo o seu corpo, consistiam em um traje muito eficaz para confundir os predadores, principalmente por fazer este cachorro se passar facilmente por uma ovelha inofensiva.

Atualmente, sua pelagem não desempenha mais essa função, mas devido a sua grande bravura, O Komondor é considerado um ótimo cão de guarda para a sua família.


Comportamento

O aspecto físico, equiparado a um grande urso de pelúcia, pode, na primeira impressão, causar medo, mas, na verdade, seu grande porte e aspecto rústico não tem nada a ver com seu real temperamento. Trata-se de um cão dócil e afetuoso em família, com apurado instinto protetor do lar.

É um cão de raça muito inteligente e independente, capaz de agir com ferocidade, mas ao mesmo tempo oferecer muito amor e dedicação aos seus donos.

Contrastando a afetuosidade com os donos, ele apresenta um temperamento muito reservado com pessoas estranhas e raramente deixa desconhecidos fazerem carinho ou mesmo se aproximarem. Pode, inclusive, apresentar reações agressivas ao pressentir qualquer forma de perigo.

Trata-se de um cão forte e capaz de tomar suas próprias decisões com iniciativa e independência, características marcantes na raça. Por esse motivo, exige um dono com voz ativa e muita experiência em liderança para garantir uma educação firme. Raramente late e se necessário, ele ataca com audácia e em silêncio.

Convive bem com qualquer outro animal diferente de si mesmo, seja ele gato, galinha, vaca etc. Entretanto, o Komondor pode travar uma disputa de liderança quando em convívio com outros cães e, na maioria das vezes, ganha a parada por causa de seu porte intimatório e avantajado.

É um cão que necessita estar ao ar livre, sendo indicado para viver em sítios e fazenda com bastante verde e área livre. Pode lhe ser designado a função de proteger a propriedade.

Atividade que ele irá exercer muito bem, devido à sua coragem e inabalável característica de defensor.

Não é do tipo de cachorro brincalhão, mas quando bem treinado e educado, pode ser muito carinhoso e paciente com as crianças.


Cuidados especiais e saúde

O Komondor é um cachorro que precisa de bastante espaço, portanto é conveniente ter um bom espaço ao ar livre em sua casa para que ele possa manter sua característica ativa e crescer de forma bem saudável. Mas isso não significa que dispense passeios diários com seu dono! É necessário levar seu cãozinho para longas caminhadas, em locais onde ele possa correr livremente e com segurança, para gastar toda a sua energia.

Apesar de ser uma raça bem resistente, o cão desta raça está propenso a apresentar doenças como displasia coxofemural (por causa do seu grande porte) otites, torção gástrica e eventuais problemas de pele, como irritações e infecções.

Sua pelagem densa e encordoada merece bastante atenção. Seus ‘dreadlocks’ começam a se formar a partir dos oito meses e só estão totalmente formadas quando atingem, mais ou menos, os dois anos de idade.

Seus pelos não devem ser escovados nem tosados. O mais indicado é ir aparando e separando as cordas da camada externa das camadas mais internas para mantê-los sempre em forma e bonitos. Não é recomendado dar banhos com muita frequência, pois seu pelo é muito difícil de secar.

É conveniente que a socialização e os treinos de obediência sejam iniciados desde cedo, quando ainda filhotes, para evitar que o cachorro se torne teimoso demais e que aprenda os seus limites na família.

Por ser um cão que pesa em torno de 60 quilos, o Komondor também precisa de cuidados com a alimentação, já que pode apresentar quadros de obesidade com facilidade.


Outras Notícias sobre Raças